Content hub

Welcome to
the digital world of care

Discover our world

A transição da CLC: para liderar um futuro mais digital

Com o apoio das soluções inovadoras da Nexllence – powered by Glintt, a Companhia Logística de Combustíveis S.A está mais perto de liderar um futuro mais digital.

A aceleração da digitalização veio permitir que hoje as organizações tomem decisões com ampla informação, atualizada de forma quase instantânea. Tudo isto de forma automatizada, libertando as pessoas das tarefas repetitivas e dando-lhes mais tempo para planear e tomar as melhores decisões para as suas empresas.

O JE Lab esteve à conversa com José Eduardo Sequeira Nunes, Administrador-Delegado da Companhia Logística de Combustíveis (CLC), uma empresa na área da logística de combustíveis, que abastece toda a zona centro do país, incluindo a zona da grande Lisboa.

O Desafio da Digitalização

A CLC é responsável pelo transporte, armazenamento, enchimento e expedição de produtos petrolíferos, entre o Oleoduto multiprodutos de Sines e Aveiras de Cima. Sendo uma empresa com forte componente tecnológica, havia um conjunto de processos importantes e que requeriam conhecimento específico desta indústria, que eram realizados recorrendo à experiência dos trabalhadores e a fórmulas de Excel.

Como explica José Eduardo Sequeira Nunes, Administrador-Delegado da CLC, era preciso “fazer uma otimização de todo o processo, desde o o transporte de Sines até às atividades de armazenagem e expedição  em Aveiras”.

O desafio era evidente: como traduzir uma operação complexa e muita específica, baseada no conhecimento empírico dos trabalhadores, num processo digital automático, permitindo eliminar redundâncias, automatizar processos e agilizar as tomadas de decisão? Ou seja, “como meter na máquina o que a pessoa está a pensar,” como diz Sequeira Nunes, para quem o objetivo era “recorrer a soluções inovadoras por forma a fazer uma otimização de todo o processo”.

Se quer ir longe, vá acompanhado…

Um projeto tão complexo, que no caso da CLC incluía, segundo Sequeira Nunes “a utilização de informação gerada por sistemas operacionais com workflows e automatizações sempre que possível e, recorrendo a movimentos operacionais, alcançar uma maior conectividade entre processos”.

A fim de encontrar soluções tecnológicas que respondessem aos desafios do negócio, a CLC escolheu a Nexllence, área de consultoria tecnológica da Glintt, cuja missão é ajudar as organizações a responderem aos desafios da Transformação Digital e a maximizarem o potencial dos seus negócios com recurso a soluções inovadoras.

José Eduardo explica que “a Nexllence soube ultrapassar os problemas encontrados, envolvendo a gestão e a permanente procura de soluções”, uma competência muito valorizada entre a equipa administrativa da CLC. Ressalva ainda que, devido “à escassez de recursos tecnológicos especializados, souberam reter os recursos necessários e gerir bem a articulação com os diversos gestores da CLC”, com o intuito de obter os melhores resultados e tornar o projeto final num caso de sucesso.

O projeto incluiu muita matemática, muitos algoritmos, e vários avanços e recuos até encontrarem a solução que mais se adequava ao negócio da CLC. Ainda segundo o administrador da CLC, a disponibilidade da Nexllence para procurar sempre a melhor solução para o projeto, apesar de ser algo “mais penoso” do que se esperava ao princípio, “foi algo que marcou”.

A informação quando chega a tempo vale ouro.

Segundo o Sequeira Nunes refere foi, acima de tudo, um processo de excelência operacional. Eliminou-se trabalho duplicado, foi incorporado conhecimento assente em pessoas – mais experientes -, “para dentro de algoritmos e sistemas, eliminando dependências críticas.” Outra das áreas que sentiram que foi melhorada prende-se com a agilização da comunicação entre áreas – atualmente realizado com recurso a processos informáticos – o que requer “menos esforço administrativo e [a possibilidade de retirar] informação mais cedo e de melhor qualidade, cálculos mais detalhados e de rápido acesso”.

Nós tínhamos informação que não era tratada. É como ter um conjunto de ouro na mesa e nós não usarmos esse ouro”. Atualmente, depois desta revolução, já é possível ir buscar a informação à origem, aproveitar todos os dados atempadamente, e assim tomar melhores decisões. “A informação quando chega a tempo é boa, quando chega tarde não vale a pena.”

Olhar em frente

A plataforma criada pela Nexllence assente em tecnologia OutSystems veio permitir à CLC recolher e utilizar em tempo real toda a informação sobre a sua operação. Como afirmou Sequeira Nunes “passou a conduzir-se a olhar para a frente e não para o retrovisor.”

A capacidade de recolher e tratar grande quantidade de dados em tempo útil é, provavelmente, o passo mais importante para as empresas que procuram fazer evoluir o seu negócio. Encontrar o parceiro certo para desbravar a complexidade tecnológica é assim, um dos grandes desafios que as organizações têm de enfrentar para continuarem a sua constante transformação digital.

Fonte: Jornal Económico

Share

Don’t miss any bit of the future of Technology